CINEMA: 10 MOTIVOS PARA ASSISTIR A BELA E A FERA

CINEMA: Filmes para chorar litros

RESENHA: Maria e Eu - Vanda Amorim

RESENHA: Não se enrola não - Isabela Freitas

MÚSICA: Adolescentes dos anos 2000

segunda-feira, 20 de março de 2017

CINEMA: 10 MOTIVOS PARA ASSISTIR A BELA E A FERA

Compartilhar Mais uma vez o cinema apresenta uma história emocionante, cheia de contos de fada e com muito amor para o público. Eu assisti ao filme e fiquei, mais uma vez, apaixonada pela Bela e a Fera. Dessa vez, a Bela ficou encantadora protagonizada pela atriz Emma Watson.

Já conferiu o filme? Ainda está na dúvida do porquê assistir?
Confira!

*******************************************************
 
10 MOTIVOS PARA ASSISTIR A BELA E A FERA

1- Um clássico

a bela e a fera
 
 Um clássico, é um clássico! A história da Bela e a Fera foi criada em 1991 e conta com diversas adaptações e fantasias que agradam o público.

2- Emma Watson


A antiga Hermione protagoniza uma personagem romântica e delicada nessa história e ficou muito incrível no papel. A atriz Emma Watson ficou encatandora ano papel. 

3- A trilha sonora

A Bela e a Fera
 
 É impossível você não se emocionar com a dança entre os dois, pois é encantador. Você se transporta para a infância outra vez.

4- O Baile

A bela e a fera

Mais uma vez, a dança é incrível, igual ao desenho.

5- A Fera

a bela e a fera




A Fera foi muito bem representada. O ator Dan Stevens se saiu muito bem.

6- Os detalhes

a bela e a fera

Os detalhes são perfeitos! A xícara é tão fofinha.

7- A Biblioteca

a bela e a fera

a bela e a fera

Todo bom leitor perdeu o ar nesse momento. 
Eu só pensei: Eu quero uma biblioteca assim pra mim!

8- Gastão ou Gatão

a bela e a fera

Alguém percebeu que o ator que fez o Gastão é igual ao personagem do desenho???
Ele é, simplesmente, incrível.

9- LeFou

a bela e a fera



a bela e a fera 

O melhor personagem gay de um filme clássico. Ele merecia um prêmio, pois foi hilário até a última cena. 

10- Acabaram os motivos, mas você precisa assistir a esse clássico.

a bela e a fera

Trailer do filme! 

 





segunda-feira, 6 de março de 2017

CINEMA: Filmes para chorar litros

Compartilhar
cinema

O cinema é como os livros, estão sempre arrecadando mais fãs e entretendo todo tipo de público. Os gêneros são variados, fazem o tipo 50 Tons Mais Escuros, com todo o romance envolvente e cenas hot como também levam lágrimas aos olhos e amor no coração dos espectadores.

Alguns filmes mexem com o sentimento do público e os fazem chorar litros. Vamos conferir a lista com algumas obras cinematográficas que fizeram o público embarcar em uma depre e chorar litros?


***************************************************************


Um Amor para recordar
(2003)

Filme baseado em uma obra do autor Nicholas Sparks que faz todo mundo chorar. Conta a história de Landon Carter, um bonitão da escola que não quer responsabilidades e que um dia, entre brincadeiras com os amigos, ele se mete em uma enrascada. Apesar das consequências ele descobre uma mulher incrível e passa a viver um grande amor.


P.S. Eu te amo
(2008)
Um filme que leva o espectador das lágrimas ao riso em menos de dois minutos. Uma história que se passa na Irlanda, onde uma mulher viaja após receber cartas do marido que faleceu e que pede que ela curta a vida mesmo não estando ao lado dele.


Amor além da vida
(1998)

Quando os filhos do casal morrem em um acidente de trânsito, Chris e Anne tem dificuldades de superar o luto. Após quatro anos, Chris parte para outra dimensão e Anne fica ainda mais arrasada. Anne não aguenta a solidão e comete suicídio, indo para um local muito escuro e frio. Chris está em um local muito bonito e junto de pessoas queridas de outras encarnações. Quando ele fica sabendo que sua esposa se suicidou e foi para o Umbral, ele decide ir até lá para buscá-la e ficar com ele pela eternidade.
A Espera de um milagre
(2000)

1935, no corredor da morte de uma prisão sulista. Paul Edgecomb (Tom Hanks) é o chefe de guarda da prisão, que temJohn Coffey (Michael Clarke Duncan) como um de seus prisioneiros. Aos poucos, desenvolve-se entre eles uma relação incomum, baseada na descoberta de que o prisioneiro possui um dom mágico que é, ao mesmo tempo, misterioso e milagroso.





 À Procura da Felicidade
(2007)

 Chris Gardner (Will Smith) é um pai de família que enfrenta sérios problemas financeiros. Apesar de todas as tentativas em manter a família unida, Linda (Thandie Newton), sua esposa, decide partir. Chris agora é pai solteiro e precisa cuidar de Christopher (Jaden Smith), seu filho de apenas 5 anos. Ele tenta usar sua habilidade como vendedor para conseguir um emprego melhor, que lhe dê um salário mais digno. Chris consegue uma vaga de estagiário numa importante corretora de ações, mas não recebe salário pelos serviços prestados. Sua esperança é que, ao fim do programa de estágio, ele seja contratado e assim tenha um futuro promissor na empresa. Porém seus problemas financeiros não podem esperar que isto aconteça, o que faz com que sejam despejados. Chris e Christopher passam a dormir em abrigos, estações de trem, banheiros e onde quer que consigam um refúgio à noite, mantendo a esperança de que dias melhores virão.


QUAL O FILME QUE FEZ VOCÊS CHORAREM?
ME CONTEM!!

sábado, 4 de março de 2017

RESENHA: Maria e Eu - Vanda Amorim

Compartilhar
Faz, aproximadamente, um mês que ganhei um livro para avaliação da autora Vanda Amorim. Quando recebi pelo correio eu percebi que era uma grande história que eu tinha em mãos e, conforme fui lendo, descobri que era muito mais que uma história, mas, sim, uma lição de vida.

O livro Maria e Eu - Os gritos do meu silêncio conta uma história chocante e emocionada sobre uma jovem que luta durante toda a sua vida para ter um final feliz, porém, as coisas tornam-se muito difíceis.


Confira as informações sobre o livros.

Livro: Maria e Eu
Autora: Vanda Amorim
Editora: Letramento
Páginas: 144 

Resenha: A personagem principal do texto chama-se Maria. Ela mora em um bairro - favela - onde o que impera é a falta de comida, higiene, dinheiro, amor e por aí vai. Ela mora com a mãe e o padrasto em uma casa pequena que é a mãe que garante o sustento e o alimento diário na mesa. Ela trabalha como faxineira e o padrasto não faz nada além de beber e dormir em casa.

Pelas frestas das tábuas de madeira que cobrem os parcos cômodos da casa, ela vê uma vida feliz, mesmo sob muitas dificuldades, onde o amor está na troca de palavras e gestos. Ela sonha em ser feliz. Aos oito anos o padrasto começou uma história de agressão e abusos com a garota. Ela não tinha ninguém para defendê-la, por isso aguentou o máximo que conseguiu. Passados os anos, os abusos tornaram-se mais fortes, seguidos de violência física e verbal, onde a mãe omitia que não via os acontecimentos, só se sentia enciumada da filha de 14 anos. Faltando um dia para completar 14 anos, ela acordou e se sentiu mal, com dores, enjoos, e tonturas. O padrasto, sabendo do ocorrido, contou para a esposa que a jovem estava grávida, porém, omitiu que o filho era seu, no entanto, inventou que a garota mantinha relações com diversos jovens da região, sendo um deles o pai do bebê. Após essa mentira, a mãe ordenou que a filha fosse embora de casa, não importando para onde ou se teria alimentos e cobertores, mas deveria sumir de sua vista.

Com isso, se foram momentos difíceis, sendo falta de comida e dinheiro os mais graves. Um dia, a Maria teve sorte em encontrar uma mulher, proprietária de um quiosque, que lhe deu emprego e tudo mais que lhe faltava. Foi um sonho realizado. Com os dias correndo, a jovem confidenciou que estava esperando um bebê, mas que não iria querê-lo após o nascimento, por isso decidiu entregá-lo para adoção. Após seguir com a decisão, a jovem deu à luz a uma menina, mas não quis levá-la com ela. Após três meses, ela é chamada para doar um rim para o bebê, pois ela sofria de problemas renais e precisava de uma doação. A partir desse momento a jovem inicia uma luta com a justiça para ter a filha de volta, pois o remorso a consumia e ela queria a bebê de volta.

A narrativa é contada pela própria Maria, um pouco mais velha, onde relata os acontecimentos entre capítulos com "antes" e "depois", para melhor entendimento do leitor. A conversa entre a autora com o leitor é interessante, pois aproxima os dois. A autora descreveu uma história muito comum na história do país, onde garotas jovens são abusadas dentro de casa e fogem por não ter auxílio.

As descobertas na vida de Maria são inúmeras, tensas e que fazem o leitor ficar pregado no livro até acabar. Eu li em dois dias e mesmo assim fiquei lembrando da história e sofrendo pela personagem.

Tenho que agradecer a autora Vanda Amorim por me dar um grande livro que vou lembrar pela vida toda. Espero que todos possam ler e tirar suas próprias conclusões sobre a vida cotidiana de uma jovem que poderia ser sua vizinha ou, quem sabe até irmã.

quarta-feira, 1 de março de 2017

RESENHA: Não se enrola não - Isabela Freitas

Compartilhar
Não se enrola não

Livro: Não se enrola não
Autora: Isabela Freitas
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 224

Resenha: Li os três primeiros livros há bastante tempo, com todo aquele movimento literário envolta da autora Isabela Freitas, decidi ler o primeiro livro e descobrir o quão interessante era a história. Engano meu. Não curti o livro, achei a personagem principal uma chata,  infantil e o segundo livro seguiu a mesma coisa.
No terceiro livro - resolvi terminar a trilogia - a personagem da Isabela Freitas está animada com o desenrolar da sua vida. Fama, trabalho, reconhecimento e muita criatividade estão de volta nessa história. Dessa vez, Isabela e Pedro Miller - o amor de sua vida, mesmo que ela diga que não -, engatam uma amizade colorida com direito a beijos e tudo mais, mas sem definir a relação. Agora eles são vizinhos de porta no mesmo prédio na cidade de SP. Ela, continua louca, agitada e sem noção do que é relacionamento. Ele, com sua fama iniciando e ganhando fãs por aí, continua aceitando a Isa com suas maiores loucuras.

A Isa, como nos livros anteriores, mantém seu humor durante os capítulos. Às vezes, ela briga com o Pedro, com as amigas, com o chefe que negou café, com a família que ligou várias vezes durante a semana, com o Pedro (de novo) porque ele olhou para uma fã durante um show. Enfim, o leitor acompanha os dramas da personagem e ri de todos eles. Claro, os momentos de brigas com o Pedro são todos porque ela é insegura e não sabe como se relacionar fixo com um homem. Eu me apaixonei pelo Pedro. Sério, ele é tão querido, tão romântico e toca e canta e é o sonho de toda adolescente.

Confesso que não me apaixonei pela histórias. Como disse anteriormente, nenhum dos três livros me deixou apaixonada, querendo muito mais páginas do que já tem. Sei que muitas pessoas gostam e se divertem com as trapalhadas da Isa, essa parte me chama a atenção, porque adoro histórias cômicas e divertidas. Mas, em alguns momentos ela força um pouco nas trapalhadas.

O final (spoiler) acontece como todo mundo que leu a trilogia já estava esperando! 
(Fica a dica!)

Miley Cyrus

Pronto. Parei! Não vou contar o final, fiquem tranquilos!
Mas, se for pra rir, se identificar com as loucuras adolescentes (eh o que parece) da personagem, vale ler os três livros. Eu poderia ler de novo só por causa do Pedro Miller
 - Virei Fã!!!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

MÚSICA: Adolescentes dos anos 2000

Compartilhar
Todos que passaram pela fase da adolescência nos anos 2000 sabem quais foram as músicas mais tocadas nas rádios. Se você lembra de Usher, Daddy Yankee, Akon, Ja Rule e Outkast, ok, você sabe do que estou falando.

Então, senta que lá vem música boa! Ou não! Mas vem música por aí!!!

******************************************************************
Just a Lil Bit - 50 Cent
2009

Gasolina - Daddy Yankee
2004

Shut Up - Black Eyed Peas
2003

Dilema - Nelly e Kelly Rowland
 2002
 
Mesmerize - Ja Rule e Ashanti
2002 


******************************************************************
Vocês lembram de alguma dessas músicas?
Qual vocês mais curtem da década de 200?