“Amor incondicional à música”


Depois daquela música ela não se interessava por mais nada, apenas a música, apenas música, só música. Começou a ter dúvidas sobre isso, pensava não estar tão normal assim. Falou com um, falou com outro, e todos diziam a mesma coisa “você é louca”.
Um dia resolveu tocar violão, entrar para esse mundo todo, e então, saber se realmente era isso que queria. Começou com dois acordes, passou para três, quatro, foi indo cada vez mais rápido e, quando percebeu já tocava uma música toda. Estava realmente acreditando não estar normal, assim como todos diziam.
Os dias foram se passando e ela foi se transformando em outra pessoa, alguém com cada vez mais personalidade. Descobriu novas bandas, havia começado com um pouco de rock, algo leve, um pouco de blues no final, algum solos de guitarra e então... ela descobriu, agora acreditava que poderia tocar guitarra. Iniciou com algo mais tranqüilo, apenas um solo fraco, depois foi passando para um intermediário e enfim acabou ficando com um solo de praticamente 10 minutos.
Descobriu novas músicas, novas bandas, algo como Beatles, não cansava de ouvir “All my loving”, depois passou para Jimmy Hendrix, Jimmy Page, Led Zepplin, foi a cada dia mudando um pouco mais e descobrindo novas músicas e sons. Com sua guitarra nas mãos ela resolveu partir para algo novo, outro tipo de vida, levando seus discos velhos, rádio-fone, trocou tudo por cd’s. Iniciou-se uma nova vida, ela já se sentia preparada, mas não sabia o dia de amanhã, apenas queria estar com suas músicas sempre por perto.
Soube que poderia encontrar uma banda, poderia ser de uma banda de rock, e ela tocaria guitarra. Encontrou pessoas com as mesmas idéias, surgiu então à banda “Pork and Beans”. Souberam de um festival de rock, resolveram ir até lá e tocar, arrasar com o público e estar junto do que mais gostavam, música.
Mesmo com tantos acontecimentos a descoberta por novas músicas nunca encerrava. Descobriu os emos, bandas que faziam um som mais romântico, letras românticas, resolveu então ser assim.
Ouviu uma banda chamada Nx Zero uma vez, e nunca mais conseguiu esquecer. Foi amor a primeira vista. O início de toda aquela transformação. Quanto àquela música que nunca conseguiu esquecer? Talvez tenha sido “silêncio” ou “Pela última vez”, não lembro muito bem. Mas a partir daquele dia ela realmente descobriu seu destino e o que tanto a inquietava, que aquele amor incondicional era apenas um. Ela não sabia seu nome, que não era da sua escola, muito menos da sua rua. Era a música. Algo que a levou para o mundo, fez com que ultrapassasse seus limites e vivenciasse cada segundo como se fosse o último.
Hoje ela não vive sem música. Já sabe seu estilo musical, tem seus cd’s favoritos e conhece seus guitarristas famosos. Com sua guitarra na mão e a música no coração, tem sua vida completa.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

“Amor incondicional à música”

Compartilhar
Depois daquela música ela não se interessava por mais nada, apenas a música, apenas música, só música. Começou a ter dúvidas sobre isso, pensava não estar tão normal assim. Falou com um, falou com outro, e todos diziam a mesma coisa “você é louca”.
Um dia resolveu tocar violão, entrar para esse mundo todo, e então, saber se realmente era isso que queria. Começou com dois acordes, passou para três, quatro, foi indo cada vez mais rápido e, quando percebeu já tocava uma música toda. Estava realmente acreditando não estar normal, assim como todos diziam.
Os dias foram se passando e ela foi se transformando em outra pessoa, alguém com cada vez mais personalidade. Descobriu novas bandas, havia começado com um pouco de rock, algo leve, um pouco de blues no final, algum solos de guitarra e então... ela descobriu, agora acreditava que poderia tocar guitarra. Iniciou com algo mais tranqüilo, apenas um solo fraco, depois foi passando para um intermediário e enfim acabou ficando com um solo de praticamente 10 minutos.
Descobriu novas músicas, novas bandas, algo como Beatles, não cansava de ouvir “All my loving”, depois passou para Jimmy Hendrix, Jimmy Page, Led Zepplin, foi a cada dia mudando um pouco mais e descobrindo novas músicas e sons. Com sua guitarra nas mãos ela resolveu partir para algo novo, outro tipo de vida, levando seus discos velhos, rádio-fone, trocou tudo por cd’s. Iniciou-se uma nova vida, ela já se sentia preparada, mas não sabia o dia de amanhã, apenas queria estar com suas músicas sempre por perto.
Soube que poderia encontrar uma banda, poderia ser de uma banda de rock, e ela tocaria guitarra. Encontrou pessoas com as mesmas idéias, surgiu então à banda “Pork and Beans”. Souberam de um festival de rock, resolveram ir até lá e tocar, arrasar com o público e estar junto do que mais gostavam, música.
Mesmo com tantos acontecimentos a descoberta por novas músicas nunca encerrava. Descobriu os emos, bandas que faziam um som mais romântico, letras românticas, resolveu então ser assim.
Ouviu uma banda chamada Nx Zero uma vez, e nunca mais conseguiu esquecer. Foi amor a primeira vista. O início de toda aquela transformação. Quanto àquela música que nunca conseguiu esquecer? Talvez tenha sido “silêncio” ou “Pela última vez”, não lembro muito bem. Mas a partir daquele dia ela realmente descobriu seu destino e o que tanto a inquietava, que aquele amor incondicional era apenas um. Ela não sabia seu nome, que não era da sua escola, muito menos da sua rua. Era a música. Algo que a levou para o mundo, fez com que ultrapassasse seus limites e vivenciasse cada segundo como se fosse o último.
Hoje ela não vive sem música. Já sabe seu estilo musical, tem seus cd’s favoritos e conhece seus guitarristas famosos. Com sua guitarra na mão e a música no coração, tem sua vida completa.

0 comentários:

Postar um comentário

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com