Metáfora

E saiba que eu caí. Caí por tantas e tantas vezes que até me acostumei.
Fiquei perdida naquela rua esperando que alguém me colocasse novamente de pé ou me levasse embora; mas eu não tinha para onde ir.
Vi você sorrindo para mim e sorrindo para os outros, todos sorrindo e rindo de mim, e eu não lembrava mais qual era meu nome.
Pessoas que nunca pensaram que poderia algum dia existir estavam lá; todos me esperando partir. Aquele cara da rua de trás, que estava lá por toda a minha vida, sorria e me dizia que eu já havia perdido a batalha, e um outro lá do fundo, acho que era até o dono do mercado, o qual eu sempre cumprimentava por todas as manhãs, me mandava ir embora logo para continuar com sua vida.
Minha professora da série inicial também estava lá. Meu primeiro amor, aquele garoto o qual eu nunca consegui esquecer estava lá e me dizia que nunca poderia ser a garota certa para ele. Eu já nem lembrava de onde eu poderia ter saído.
O cara que riu de todas as minhas piadas durante quase dois anos, estava agora de pé em frente à multidão de rostos conhecidos, e dizia que eu fui alguém que não merecia piedade.
Meus familiares estavam agora chegando. Avó, avô, tia, tio, enfim, todos eles para o grande espetáculo. Eu nem lembrava mais qual era a minha idade.
E eu estava caída. Caída no chão que eu havia passado por tantos e tantos dias. Aqueles mesmos, sabe, que eu estava atrasada para ir à escola, trabalho.
E eu estava lá, esperando talvez a oportunidade de correr e mudar de idéia caso alguém resolvesse me ajudar, e então eu vi. Você chegou, me levantou e me fez sorrir por mais que eu teimasse em chorar. Você estava mesmo lá. Empurrou a multidão e nem quis saber se o que todos esperavam não havia acontecido, por que você estava mesmo lá. Depois de tantos anos de espera, você me fez viver cinco, dez, doze anos em apenas dois minutos, e eu apenas concordava e sorria. Você realmente havia chegado. E eu estava realmente feliz por isso.
E saiba que me acordei. Acordei-me de todos os pesadelos que já havia tido.
Você finalmente estava ao meu lado.
Você finalmente veio.
E então eu estava finalmente de pé, por você; e então eu acordei.

CONVERSATION

1 comentários:

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com

terça-feira, 21 de abril de 2009

Metáfora

Compartilhar E saiba que eu caí. Caí por tantas e tantas vezes que até me acostumei.
Fiquei perdida naquela rua esperando que alguém me colocasse novamente de pé ou me levasse embora; mas eu não tinha para onde ir.
Vi você sorrindo para mim e sorrindo para os outros, todos sorrindo e rindo de mim, e eu não lembrava mais qual era meu nome.
Pessoas que nunca pensaram que poderia algum dia existir estavam lá; todos me esperando partir. Aquele cara da rua de trás, que estava lá por toda a minha vida, sorria e me dizia que eu já havia perdido a batalha, e um outro lá do fundo, acho que era até o dono do mercado, o qual eu sempre cumprimentava por todas as manhãs, me mandava ir embora logo para continuar com sua vida.
Minha professora da série inicial também estava lá. Meu primeiro amor, aquele garoto o qual eu nunca consegui esquecer estava lá e me dizia que nunca poderia ser a garota certa para ele. Eu já nem lembrava de onde eu poderia ter saído.
O cara que riu de todas as minhas piadas durante quase dois anos, estava agora de pé em frente à multidão de rostos conhecidos, e dizia que eu fui alguém que não merecia piedade.
Meus familiares estavam agora chegando. Avó, avô, tia, tio, enfim, todos eles para o grande espetáculo. Eu nem lembrava mais qual era a minha idade.
E eu estava caída. Caída no chão que eu havia passado por tantos e tantos dias. Aqueles mesmos, sabe, que eu estava atrasada para ir à escola, trabalho.
E eu estava lá, esperando talvez a oportunidade de correr e mudar de idéia caso alguém resolvesse me ajudar, e então eu vi. Você chegou, me levantou e me fez sorrir por mais que eu teimasse em chorar. Você estava mesmo lá. Empurrou a multidão e nem quis saber se o que todos esperavam não havia acontecido, por que você estava mesmo lá. Depois de tantos anos de espera, você me fez viver cinco, dez, doze anos em apenas dois minutos, e eu apenas concordava e sorria. Você realmente havia chegado. E eu estava realmente feliz por isso.
E saiba que me acordei. Acordei-me de todos os pesadelos que já havia tido.
Você finalmente estava ao meu lado.
Você finalmente veio.
E então eu estava finalmente de pé, por você; e então eu acordei.

1 comentários:

Nely Ladislau disse...

Adoro metáforas! E seu blog é bacana, hein!
Paz e luz!

Postar um comentário

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com