Só agora


Solidão, uma palavra tão pequena e com um significado tão amplo e um sentimento tão grande. Sempre ouvia minha mãe falar sobre isso, a tal da solidão, aquela que quando vem, traz junto um turbilhão de problemas, que arrasta as pessoas para o fundo do poço e insiste em destruir famílias. Minhas amigas também a conheciam. Denominavam “A coisa”, e tremiam só de falar no assunto, como se fosse uma doença rara ou alguma epidemia, um vírus. Minhas vizinhas também a temiam, mas muitas já tinham sido possuídas por ela, ou seja, viviam sozinhas e saiam ruas a fora conversando somente com ela; a coisa. Eram apontadas nas ruas e denominadas de coitadas. Sentia pena delas sem nem conhecer a solidão.
Um dia eu conheci um cara. É, era o cara dos meus sonhos, aquele capaz de virar meu mundo de ponta cabeça e continuar a sorrir. Tive muitos momentos intensos, era uma paixão avassaladora, como dizem nas novelas, e eu vivi cada momento como se fosse o último, pois bem, um dia chegou mesmo o último. E agora estou eu aqui, sozinha, pois nem a solidão se encontra mais neste lugar, sinto que ela já tenha partido e o vazio é inexplicável.
Todo dia eu me sentava em frente ao computador e buscava por respostas, mas elas não vinham, e a solidão sorria. Todo dia eu parava em frente à TV e tentava te encontrar, mas nada acontecia, nenhum rosto surgia, nenhuma voz eu ouvia, somente a solidão sorria. Todos os dias. Por todos os meus dias ela estava lá, sorrindo em resposta ao meu silêncio comprovando que ela era a única capaz de prever o futuro.
Hoje me sinto só, muito mais do que antes quando a solidão me acompanhava. Ela se foi, e eu ainda estou aqui. Perdida em pensamentos, perdida nas lembranças que nunca existiram porque não tivemos tempo, você foi o primeiro a partir, depois outro e mais outro.
A solidão sufoca, ela prende, ela aprisiona o tempo para que ele não passe e deixa sempre a loucura chegar. E ela chegou... Ela voltou... Não sei mais discernir a presença ou ausência, mas não me sinto tão só, porque a solidão voltou a me acompanhar.
*Texto para Blogueando*

CONVERSATION

1 comentários:

  1. Oi seguidor :D
    Passa lá no meu blog e da uma olhadinha

    Bjs Ponto K. ;*
    http://ladykalzinha.blogspot.com/

    ResponderExcluir

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Só agora

Compartilhar
Solidão, uma palavra tão pequena e com um significado tão amplo e um sentimento tão grande. Sempre ouvia minha mãe falar sobre isso, a tal da solidão, aquela que quando vem, traz junto um turbilhão de problemas, que arrasta as pessoas para o fundo do poço e insiste em destruir famílias. Minhas amigas também a conheciam. Denominavam “A coisa”, e tremiam só de falar no assunto, como se fosse uma doença rara ou alguma epidemia, um vírus. Minhas vizinhas também a temiam, mas muitas já tinham sido possuídas por ela, ou seja, viviam sozinhas e saiam ruas a fora conversando somente com ela; a coisa. Eram apontadas nas ruas e denominadas de coitadas. Sentia pena delas sem nem conhecer a solidão.
Um dia eu conheci um cara. É, era o cara dos meus sonhos, aquele capaz de virar meu mundo de ponta cabeça e continuar a sorrir. Tive muitos momentos intensos, era uma paixão avassaladora, como dizem nas novelas, e eu vivi cada momento como se fosse o último, pois bem, um dia chegou mesmo o último. E agora estou eu aqui, sozinha, pois nem a solidão se encontra mais neste lugar, sinto que ela já tenha partido e o vazio é inexplicável.
Todo dia eu me sentava em frente ao computador e buscava por respostas, mas elas não vinham, e a solidão sorria. Todo dia eu parava em frente à TV e tentava te encontrar, mas nada acontecia, nenhum rosto surgia, nenhuma voz eu ouvia, somente a solidão sorria. Todos os dias. Por todos os meus dias ela estava lá, sorrindo em resposta ao meu silêncio comprovando que ela era a única capaz de prever o futuro.
Hoje me sinto só, muito mais do que antes quando a solidão me acompanhava. Ela se foi, e eu ainda estou aqui. Perdida em pensamentos, perdida nas lembranças que nunca existiram porque não tivemos tempo, você foi o primeiro a partir, depois outro e mais outro.
A solidão sufoca, ela prende, ela aprisiona o tempo para que ele não passe e deixa sempre a loucura chegar. E ela chegou... Ela voltou... Não sei mais discernir a presença ou ausência, mas não me sinto tão só, porque a solidão voltou a me acompanhar.
*Texto para Blogueando*

1 comentários:

KarlaDiniz' ® disse...

Oi seguidor :D
Passa lá no meu blog e da uma olhadinha

Bjs Ponto K. ;*
http://ladykalzinha.blogspot.com/

Postar um comentário

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com