Palavras ao vento


Queria poder explicar o vazio que está aqui. Queria poder entender todos os motivos que me sufocam e não deixam as palavras saírem. Elas se prendem. Elas se agarram umas as outras como se fosse a única salvação e eu continuo a tentar.
Peguei pela última vez todas as cartas que você me enviou, não li, já sabia o conteúdo de todas elas sem nem mesmo me esforçar pra imaginar. As palavras soltas, que até pouco tempo estavam nas folhas, agora dançavam ao meu redor. Eu vi a palavra “amor” passar por mim sem querer se encontrar com a palavra “eterno”. Eu vi a palavra “lágrimas” se juntar com “desgosto” e “confiança” dançar como se fizesse graça para a “traição”. Não conseguia me concentrar em nada, só via todas aquelas palavras passarem por mim sem nexo, sem uma formação de frases exatas, apenas correndo soltas e a minha imaginação a formular os sentidos.
Pensei em dizer muitas coisas, porém, nada que eu diga vai fazer o tempo voltar atrás. Resolvi passar uma borracha em todas aquelas palavras dançantes que ali se divertiam e deixei apenas a “saudade”. Fiz dela meu muro de reclusão. Não sei se fiz certo ao apagar todas aquelas outras palavras feias, mas acredito que sim, porque não seria possível viver com todas aquelas “lágrimas”, “tristezas” e desgostos”.
Acredito que para um bom escritor qualquer palavra é válida. E foi pensando assim que resolvi escrever. Um escritor é aquele que brinca com as palavras, que escreve com a alma, além do coração. Foi utilizando as palavras que criei meu paraíso. Da “saudade” fiz meu muro de reclusão, das “lágrimas” um aprendizado, o “desgosto” eu simplesmente deixei de lado junto à “traição”, da “confiança” eu fiz um protetor do meu muro e do “amor” a borracha para todas as futuras palavras desagradáveis.

CONVERSATION

7 comentários:

  1. Vim compartilhar o meu texto sobre a escrita e o escritor.
    Quem sabe vc vem tbém comigo.
    http://sandrarandrade7.blogspot.com/2010/07/coletiva-escrita-e-o-escritor.html
    é preciso ter o coração muito aberto para deixar a alma do poeta falar.

    Ficarei feliz se vc der a sua opinião. Escrevemos para alguém. A escrita e o escritor. Amei.
    Carinhosamente,
    sandra

    ResponderExcluir
  2. Oii obrigada por passar no meu blog,
    seja bem vinda !!

    Concerteza as palavras as vezes são a melhor forma de expresar o que estamos sentindo,
    gostei do post e do blog,
    estou te seguindo ;)
    Beijokas.

    ResponderExcluir
  3. é ruim sentir assim ;/ gostei do blog, do que tu escreve! seguindo!

    ResponderExcluir
  4. Para as futuras palavras desagradáveis, eu preciso de uma borracha dessas.
    Lindo seu texto.

    ResponderExcluir
  5. profundo demais.
    vc escreve bem.

    bejos

    ResponderExcluir
  6. Já te falaram que você leva um jeitão com as palavras? Pois é, Juliete! Adorei seu blog, lindo o texto! Intenso, forte, marcante! Voltarei mais vezes!

    Ah, somos apaixonados então por Spice Girls! São lindas e maravilhosas, fato!

    Um beijo :*

    ResponderExcluir
  7. Juliete
    Lindo o seu Palavras ao vento. Amei!! Muito bem escrito.
    Merecedor do pódio. Parabéns!!!

    Beijos bom domingo

    ResponderExcluir

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Palavras ao vento

Compartilhar
Queria poder explicar o vazio que está aqui. Queria poder entender todos os motivos que me sufocam e não deixam as palavras saírem. Elas se prendem. Elas se agarram umas as outras como se fosse a única salvação e eu continuo a tentar.
Peguei pela última vez todas as cartas que você me enviou, não li, já sabia o conteúdo de todas elas sem nem mesmo me esforçar pra imaginar. As palavras soltas, que até pouco tempo estavam nas folhas, agora dançavam ao meu redor. Eu vi a palavra “amor” passar por mim sem querer se encontrar com a palavra “eterno”. Eu vi a palavra “lágrimas” se juntar com “desgosto” e “confiança” dançar como se fizesse graça para a “traição”. Não conseguia me concentrar em nada, só via todas aquelas palavras passarem por mim sem nexo, sem uma formação de frases exatas, apenas correndo soltas e a minha imaginação a formular os sentidos.
Pensei em dizer muitas coisas, porém, nada que eu diga vai fazer o tempo voltar atrás. Resolvi passar uma borracha em todas aquelas palavras dançantes que ali se divertiam e deixei apenas a “saudade”. Fiz dela meu muro de reclusão. Não sei se fiz certo ao apagar todas aquelas outras palavras feias, mas acredito que sim, porque não seria possível viver com todas aquelas “lágrimas”, “tristezas” e desgostos”.
Acredito que para um bom escritor qualquer palavra é válida. E foi pensando assim que resolvi escrever. Um escritor é aquele que brinca com as palavras, que escreve com a alma, além do coração. Foi utilizando as palavras que criei meu paraíso. Da “saudade” fiz meu muro de reclusão, das “lágrimas” um aprendizado, o “desgosto” eu simplesmente deixei de lado junto à “traição”, da “confiança” eu fiz um protetor do meu muro e do “amor” a borracha para todas as futuras palavras desagradáveis.

7 comentários:

Sandra disse...

Vim compartilhar o meu texto sobre a escrita e o escritor.
Quem sabe vc vem tbém comigo.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2010/07/coletiva-escrita-e-o-escritor.html
é preciso ter o coração muito aberto para deixar a alma do poeta falar.

Ficarei feliz se vc der a sua opinião. Escrevemos para alguém. A escrita e o escritor. Amei.
Carinhosamente,
sandra

Gika Stella disse...

Oii obrigada por passar no meu blog,
seja bem vinda !!

Concerteza as palavras as vezes são a melhor forma de expresar o que estamos sentindo,
gostei do post e do blog,
estou te seguindo ;)
Beijokas.

E.Suruba disse...

é ruim sentir assim ;/ gostei do blog, do que tu escreve! seguindo!

Gêsa disse...

Para as futuras palavras desagradáveis, eu preciso de uma borracha dessas.
Lindo seu texto.

Camila disse...

profundo demais.
vc escreve bem.

bejos

Tiêgo disse...

Já te falaram que você leva um jeitão com as palavras? Pois é, Juliete! Adorei seu blog, lindo o texto! Intenso, forte, marcante! Voltarei mais vezes!

Ah, somos apaixonados então por Spice Girls! São lindas e maravilhosas, fato!

Um beijo :*

Irene Moreira disse...

Juliete
Lindo o seu Palavras ao vento. Amei!! Muito bem escrito.
Merecedor do pódio. Parabéns!!!

Beijos bom domingo

Postar um comentário

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com