RESENHA: Pax - Sara Pennypacker

Livro Pax

Olá, pessoal!

Hoje tenho uma grande obra para apresentar a vocês. Acabei de fazer a leitura do livro Pax, da autora Sara Pennypacker. Vamos descobrir juntos como é a história?

******************************************** 

Livro: Pax
Autora: Sara Pennypacker
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 288
Skoob: Adicione 
Compare e compre: Americanas; Saraiva; Lelivros;  

Sinopse: Uma história emocionante que vai conquistar crianças e adultos. Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver “Pax” à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de “Pax”. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, “Pax” embarca em suas próprias aventuras e descobertas. Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, “Pax” expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.

*******************************************
 Você já imaginou ter um animal de estimação feroz e selvagem? Eu, sinceramente, já pensei em alguns bichos como melhor amigo, mas nenhum deles se compara a uma raposa. Isso mesmo, uma raposa. No livro Pax, a autora nos apresenta um romance de entrega, amor, amizade e compaixão que faz qualquer coração gelado derreter. Quando eu encontrei essa leitura no site Lelivros, não imaginava que seria minha nova paixão. Depois da leitura de Extraordinário, Pax ficou na disputa pela melhor história com ensinamentos para qualquer idade.

Durante a infância as crianças buscam por amigos e pessoas próximas que serão como parte da família, como uma repetição de pai e mãe que proporciona segurança e amor incondicional. Na história, Peter é um menino que passa por problemas psicológicos por ter perdido a mãe tão cedo e vive apenas na companhia do pai - soldado da guerra - e do avô. Pouco tempo depois de ter perdido a matriarca da família, Peter, em suas caminhadas com o pai, encontra na estrada uma raposa adulta e seus filhotes mortos. Seriam todos mortos? Não, restava apenas um com sopro de vida e que encantou a primeira vista o jovem.

O garoto levou a raposinha para casa e deu amor, carinho, água e comida até os dois crescerem. Eles se completavam e entendiam-se como dois irmãos da mesma raça, sem preconceitos por cor, credo ou raça. Os dois cresceram e a guerra se aproximava, por isso, o jovem Peter teve de partir para morar com o avô, já que o pai iria ao combate. Mas o pai, sempre muito direto, afirmou que a raposa deveria ser deixada para trás, pois o avô não permitiria mais uma companhia, principalmente animal, em sua residência. Com isso, em prantos e lamentos, o jovem aceitou a ideia e acompanhou o pai a uma estrada para entregar ao mundo seu jovem amigo. A separação foi tensa, os dois tristes, o pai ríspido e a partida rápida. A raposa - Pax - não entendia porque os adultos foram embora e a deixaram para trás, apenas com um bonequinho como recordação. Seria o coração dos humanos ainda mais frio do que ela pensava? "Não pode ser", pensava ele, pois o amigo humano nunca iria deixá-la sozinha no mundo, pois eles eram parte um do outro. Com essa ideia na cabeça, a busca por encontrar o caminho de volta para casa tornou-se indiscutível em Pax.

Após a partida do pai, o jovem decidiu ir em busca de sua raposa outra vez. Não iria abandoná-la à própria sorte na floresta. Por isso, juntou suas coisas e partiu para encontrar seu grande amigo. No começo, as coisas foram muito mais difíceis do que ele pensava, machucando-se nas margens da estrada e fraturando uma perna. Com uma dor insuportável e o pé quebrado, Peter não sabia mais como seguir. Em uma manhã, conheceu Vola, uma espécie de fada madrinha moderna que vai ajudar o garoto em todos seus passos até encontrar seu amigo animal. A partir desse momento, a busca  interminável ultrapassa os limites e não é apenas de um, mas sim dois, e as descobertas são intensas.


Espero que vocês tenham gostado da história e, claro, aos que não leram, indico com maior prazer!

CONVERSATION

4 comentários:

  1. Assim como você, já vi muitas pessoas comentando sobre a semelhança entre Pax e Extraordinário, mas de um modo geral, Pax me lembra muito mais Soldier, livro que conta a história de um menino que cuida de um cachorrinho e se vê obrigado a deixá-lo pra trás por conta do pai, e depois vai parar na guerra também. Se você ainda não leu, indico muito, embora seja de partir o coração. Tenho certeza que vou querer uma raposa depois de ler Pax <3 já vou pedindo pra minha mãe. Hahaha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Hellooo, boa noite! Tudo bem?
    Estou louca para ler esse livro, só vejo resenhas positivas e não vejo a hora de comprar para ler.
    Beijos!Refúgio da Ju

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha e fiquei curiosa em ler o livro.
    Beijos e um bom final de semana!
    Blog DMulheresInstagram

    ResponderExcluir
  4. A principio não dei muito bola para Pax, mas a cada resenha essa história enternece mais meu coração e me faz ter vontade de ir atrás e ler o livro.

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

RESENHA: Pax - Sara Pennypacker

Compartilhar
Livro Pax

Olá, pessoal!

Hoje tenho uma grande obra para apresentar a vocês. Acabei de fazer a leitura do livro Pax, da autora Sara Pennypacker. Vamos descobrir juntos como é a história?

******************************************** 

Livro: Pax
Autora: Sara Pennypacker
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 288
Skoob: Adicione 
Compare e compre: Americanas; Saraiva; Lelivros;  

Sinopse: Uma história emocionante que vai conquistar crianças e adultos. Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver “Pax” à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de “Pax”. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, “Pax” embarca em suas próprias aventuras e descobertas. Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, “Pax” expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.

*******************************************
 Você já imaginou ter um animal de estimação feroz e selvagem? Eu, sinceramente, já pensei em alguns bichos como melhor amigo, mas nenhum deles se compara a uma raposa. Isso mesmo, uma raposa. No livro Pax, a autora nos apresenta um romance de entrega, amor, amizade e compaixão que faz qualquer coração gelado derreter. Quando eu encontrei essa leitura no site Lelivros, não imaginava que seria minha nova paixão. Depois da leitura de Extraordinário, Pax ficou na disputa pela melhor história com ensinamentos para qualquer idade.

Durante a infância as crianças buscam por amigos e pessoas próximas que serão como parte da família, como uma repetição de pai e mãe que proporciona segurança e amor incondicional. Na história, Peter é um menino que passa por problemas psicológicos por ter perdido a mãe tão cedo e vive apenas na companhia do pai - soldado da guerra - e do avô. Pouco tempo depois de ter perdido a matriarca da família, Peter, em suas caminhadas com o pai, encontra na estrada uma raposa adulta e seus filhotes mortos. Seriam todos mortos? Não, restava apenas um com sopro de vida e que encantou a primeira vista o jovem.

O garoto levou a raposinha para casa e deu amor, carinho, água e comida até os dois crescerem. Eles se completavam e entendiam-se como dois irmãos da mesma raça, sem preconceitos por cor, credo ou raça. Os dois cresceram e a guerra se aproximava, por isso, o jovem Peter teve de partir para morar com o avô, já que o pai iria ao combate. Mas o pai, sempre muito direto, afirmou que a raposa deveria ser deixada para trás, pois o avô não permitiria mais uma companhia, principalmente animal, em sua residência. Com isso, em prantos e lamentos, o jovem aceitou a ideia e acompanhou o pai a uma estrada para entregar ao mundo seu jovem amigo. A separação foi tensa, os dois tristes, o pai ríspido e a partida rápida. A raposa - Pax - não entendia porque os adultos foram embora e a deixaram para trás, apenas com um bonequinho como recordação. Seria o coração dos humanos ainda mais frio do que ela pensava? "Não pode ser", pensava ele, pois o amigo humano nunca iria deixá-la sozinha no mundo, pois eles eram parte um do outro. Com essa ideia na cabeça, a busca por encontrar o caminho de volta para casa tornou-se indiscutível em Pax.

Após a partida do pai, o jovem decidiu ir em busca de sua raposa outra vez. Não iria abandoná-la à própria sorte na floresta. Por isso, juntou suas coisas e partiu para encontrar seu grande amigo. No começo, as coisas foram muito mais difíceis do que ele pensava, machucando-se nas margens da estrada e fraturando uma perna. Com uma dor insuportável e o pé quebrado, Peter não sabia mais como seguir. Em uma manhã, conheceu Vola, uma espécie de fada madrinha moderna que vai ajudar o garoto em todos seus passos até encontrar seu amigo animal. A partir desse momento, a busca  interminável ultrapassa os limites e não é apenas de um, mas sim dois, e as descobertas são intensas.


Espero que vocês tenham gostado da história e, claro, aos que não leram, indico com maior prazer!

4 comentários:

Caverna Literária disse...

Assim como você, já vi muitas pessoas comentando sobre a semelhança entre Pax e Extraordinário, mas de um modo geral, Pax me lembra muito mais Soldier, livro que conta a história de um menino que cuida de um cachorrinho e se vê obrigado a deixá-lo pra trás por conta do pai, e depois vai parar na guerra também. Se você ainda não leu, indico muito, embora seja de partir o coração. Tenho certeza que vou querer uma raposa depois de ler Pax <3 já vou pedindo pra minha mãe. Hahaha

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Juliana Santos disse...

Hellooo, boa noite! Tudo bem?
Estou louca para ler esse livro, só vejo resenhas positivas e não vejo a hora de comprar para ler.
Beijos!Refúgio da Ju

Sheyla - DMulheres disse...

Amei a resenha e fiquei curiosa em ler o livro.
Beijos e um bom final de semana!
Blog DMulheresInstagram

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

A principio não dei muito bola para Pax, mas a cada resenha essa história enternece mais meu coração e me faz ter vontade de ir atrás e ler o livro.

Pandora
O que tem na nossa estante

Postar um comentário

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com