RESENHA: O Presente

Mais uma obra que deixa o leitor refletindo e pensando na vida. A autora Cecelia Ahern tem o dom de nos deixar assim, como se passássemos de leitores para atuantes em suas histórias, vivendo cada palavra com muito amor e renovação.

***********************************************************


Livro: O Presente
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 320

Sinopse: Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, tem sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte, e, quando está em casa, com a esposa e os filhos, sua mente está, invariavelmente, em outro lugar. Numa manhã de inverno, Lou encontra Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha. Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça de sapatos Loubotin com o rapaz de sapatos pretos... Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego. Mas logo o executivo arrepende-se de ajudar Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, Gabe lhe fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber... Quando começa a entender quem é realmente Gabe, e o que ele faz em sua vida, o executivo percebe que passará pela mais dura das provações. Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ela. No momento certo.
 ***************************************************************************
 ***************************************************************************

Certa vez, entrei em uma livraria e fui em direção a estante de novidades. Bom, entrar em uma livraria não é nenhuma novidade para mim, muito menos buscar por leituras novas. Porém, aquele diz, me deparei com alguns livros da autora Cecelia Ahern e lembrei de várias resenhas e comentários positivos que li na internet. Fiquei curiosa, principalmente por nunca ter lido nada dela e reparei no livro O Presente. Com uma capa azul, mãos enluvadas e estendidas, muita neve e um sentimento natalino escondido em sua sinopse. Deixei passar e optei por uma outra obra aleatória, a qual não lembro nem o título. No mês seguinte me deparei com a mesma obra em outra livraria, mas não comprei o livro. Passou alguns meses e no final de semana passado eu fui viajar para o litoral com a minha família e decidimos tomar um café - com torradas -, e encontrei a mesma leitura na estante do local. Sério, me agarrei àquele livro como uma compulsiva louca e joguei no rapaz do caixa e disse: "É esse, quanto custa?", o rapaz, meio assustado com a minha aflição, respondeu o valor, pegou o dinheiro - assustado - e me entregou o tão esperado livro.

Página vai, página vem, e depois de três dias estou sentada em frente ao computador, pensando como começar a escrever sobre os personagens e seus ensinamentos. Já finalizei a leitura, mas ainda não consigo descrever o meu sentimento sobre aquelas palavras. Bom, vamos lá!

Às vezes eu  penso no que tenho feito com meu tempo aqui na terra, se tenho aproveitado de forma correta ou não. Sei que aproveitar de forma correta é o mesmo que dizer "Dane-se, estou vivendo!", pois cada um vive como quer e, na maioria das vezes, sem arrependimentos. Arrepender-se de algo é comum nos dias de hoje, pois estamos sempre correndo para chegar ao local desejado, nos virando em dois para estar com a família, amigos e resolvendo questões no trabalho. Foi através dessa ideia que a autora nos apresenta o personagem Lou, um empresário, workaholic, viciado em trabalho e com um ego lá no alto dos céus. Do outro lado, temos uma família descontente, que não pode contar com o pai, marido, filho, irmão ou cunhado e isso só aumenta o rancor de ambas as partes. Somos iguais ao Lou? Um dia eu já fui assim, no outro reparei meus erros e prometi melhorar, mas a vida nos fecha os olhos e nos cobra resultados e, é aí que devemos enfrentá-la.

Lou é um pai relapso que não lembra dos filhos, não demonstra amor pela esposa e pensa que os outros podem resolver os problemas familiares, mas não ele, pois é atarefado demais para isso. Um dia ele conhece um mendigo, sentado na calçada próximo da empresa onde ele trabalha e que desperta nele, no Lou, certa curiosidade. Gabe, como ele se apresenta, é um homem sem expectativa de vida, sem cobranças e, claro, sem família, mas muito observador. Ele conta que sabe o horário dos funcionários da empresa que Lou trabalha, conhece o calçado deles, seus ternos caros e a arrogância de cada um. Isso desperta uma curiosidade em Lou que, no dia seguinte, o traz para a empresa e consegue um bom emprego para ele.

Você se colocaria como Gabe, um rapaz humilde, do bem, sem pretensões, sem arrogância e muito observador? Ou você seria como o Lou? Ser humilde não quer dizer que sejamos desligados da vida. Observador não quer dizer que somos interesseiros. A sociedade exclui muitas pessoas boas e com potencial alto igual a muitos outros trabalhadores e são esses, que nos ensinam que a vida pode ser muito melhor diariamente.

O livro me faz refletir sobre um lado espiritual que circula pelo Gabe. Ele parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, cheio de mistérios, filosofias e aprendizado. Acredito que esse foi um dos principais fatores pelo meu interesse pela obra e, claro, o fato de eu encontrá-la em diversos lugares me deixou intrigada.

Eu li O Presente, de Cecelia Ahern, da editora Novo Conceito e me apaixonei. Espero que ele seja lido por muitos leitores e todos, assim como eu, encontrem algo similar entre a história e sua vida, fazendo assim, melhorias e acrescentando coisas boas na vida das pessoas ao redor.

Uma ótima leitura!

CONVERSATION

1 comentários:

  1. Ahhh, como eu quero esse livro! É impossível não se apaixonar pela escrita da Cecelia, não é? Não sei se você já leu, mas se não, leia "como se apaixonar" da autora. Foi um dos meus favoritos do ano!

    Adorei seu blog e já estou acompanhando. <3 Beijos! | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com

terça-feira, 25 de outubro de 2016

RESENHA: O Presente

Compartilhar
Mais uma obra que deixa o leitor refletindo e pensando na vida. A autora Cecelia Ahern tem o dom de nos deixar assim, como se passássemos de leitores para atuantes em suas histórias, vivendo cada palavra com muito amor e renovação.

***********************************************************


Livro: O Presente
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 320

Sinopse: Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, tem sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte, e, quando está em casa, com a esposa e os filhos, sua mente está, invariavelmente, em outro lugar. Numa manhã de inverno, Lou encontra Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha. Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça de sapatos Loubotin com o rapaz de sapatos pretos... Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego. Mas logo o executivo arrepende-se de ajudar Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, Gabe lhe fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber... Quando começa a entender quem é realmente Gabe, e o que ele faz em sua vida, o executivo percebe que passará pela mais dura das provações. Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ela. No momento certo.
 ***************************************************************************
 ***************************************************************************

Certa vez, entrei em uma livraria e fui em direção a estante de novidades. Bom, entrar em uma livraria não é nenhuma novidade para mim, muito menos buscar por leituras novas. Porém, aquele diz, me deparei com alguns livros da autora Cecelia Ahern e lembrei de várias resenhas e comentários positivos que li na internet. Fiquei curiosa, principalmente por nunca ter lido nada dela e reparei no livro O Presente. Com uma capa azul, mãos enluvadas e estendidas, muita neve e um sentimento natalino escondido em sua sinopse. Deixei passar e optei por uma outra obra aleatória, a qual não lembro nem o título. No mês seguinte me deparei com a mesma obra em outra livraria, mas não comprei o livro. Passou alguns meses e no final de semana passado eu fui viajar para o litoral com a minha família e decidimos tomar um café - com torradas -, e encontrei a mesma leitura na estante do local. Sério, me agarrei àquele livro como uma compulsiva louca e joguei no rapaz do caixa e disse: "É esse, quanto custa?", o rapaz, meio assustado com a minha aflição, respondeu o valor, pegou o dinheiro - assustado - e me entregou o tão esperado livro.

Página vai, página vem, e depois de três dias estou sentada em frente ao computador, pensando como começar a escrever sobre os personagens e seus ensinamentos. Já finalizei a leitura, mas ainda não consigo descrever o meu sentimento sobre aquelas palavras. Bom, vamos lá!

Às vezes eu  penso no que tenho feito com meu tempo aqui na terra, se tenho aproveitado de forma correta ou não. Sei que aproveitar de forma correta é o mesmo que dizer "Dane-se, estou vivendo!", pois cada um vive como quer e, na maioria das vezes, sem arrependimentos. Arrepender-se de algo é comum nos dias de hoje, pois estamos sempre correndo para chegar ao local desejado, nos virando em dois para estar com a família, amigos e resolvendo questões no trabalho. Foi através dessa ideia que a autora nos apresenta o personagem Lou, um empresário, workaholic, viciado em trabalho e com um ego lá no alto dos céus. Do outro lado, temos uma família descontente, que não pode contar com o pai, marido, filho, irmão ou cunhado e isso só aumenta o rancor de ambas as partes. Somos iguais ao Lou? Um dia eu já fui assim, no outro reparei meus erros e prometi melhorar, mas a vida nos fecha os olhos e nos cobra resultados e, é aí que devemos enfrentá-la.

Lou é um pai relapso que não lembra dos filhos, não demonstra amor pela esposa e pensa que os outros podem resolver os problemas familiares, mas não ele, pois é atarefado demais para isso. Um dia ele conhece um mendigo, sentado na calçada próximo da empresa onde ele trabalha e que desperta nele, no Lou, certa curiosidade. Gabe, como ele se apresenta, é um homem sem expectativa de vida, sem cobranças e, claro, sem família, mas muito observador. Ele conta que sabe o horário dos funcionários da empresa que Lou trabalha, conhece o calçado deles, seus ternos caros e a arrogância de cada um. Isso desperta uma curiosidade em Lou que, no dia seguinte, o traz para a empresa e consegue um bom emprego para ele.

Você se colocaria como Gabe, um rapaz humilde, do bem, sem pretensões, sem arrogância e muito observador? Ou você seria como o Lou? Ser humilde não quer dizer que sejamos desligados da vida. Observador não quer dizer que somos interesseiros. A sociedade exclui muitas pessoas boas e com potencial alto igual a muitos outros trabalhadores e são esses, que nos ensinam que a vida pode ser muito melhor diariamente.

O livro me faz refletir sobre um lado espiritual que circula pelo Gabe. Ele parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, cheio de mistérios, filosofias e aprendizado. Acredito que esse foi um dos principais fatores pelo meu interesse pela obra e, claro, o fato de eu encontrá-la em diversos lugares me deixou intrigada.

Eu li O Presente, de Cecelia Ahern, da editora Novo Conceito e me apaixonei. Espero que ele seja lido por muitos leitores e todos, assim como eu, encontrem algo similar entre a história e sua vida, fazendo assim, melhorias e acrescentando coisas boas na vida das pessoas ao redor.

Uma ótima leitura!

1 comentários:

Ps Eu Amo Leitura disse...

Ahhh, como eu quero esse livro! É impossível não se apaixonar pela escrita da Cecelia, não é? Não sei se você já leu, mas se não, leia "como se apaixonar" da autora. Foi um dos meus favoritos do ano!

Adorei seu blog e já estou acompanhando. <3 Beijos! | * Blog PS Amo Leitura *

Postar um comentário

- Comente, mas algo que acrescente uma opinião, sempre com respeito.

- Siga o blog, mas deixe seu endereço para eu seguir de volta.

- Dicas, opiniões, sempre serão bem vindas.

E-mail para contato: dhfy.blogs@gmail.com